Raio de sol

Fotografia Maria Eunice Gerard

 
 
Ninguém totalmente só neste planeta. Mesmo os que não constituímos família, os que não casamos, nem temos filhos.
Não estamos sós. Há sempre uma alma querida que Deus coloca em nosso caminho para nos amar, para nos dizer que Ele não nos esqueceu.
Que Ele sabe das nossas lutas, do plano de progresso que estabelecemos na Espiritualidade, antes de nascer.
E que, para o concretizar em totalidade, necessitamos de uma mão que nos acaricie, um ombro que se nos ofereça como apoio nos dias de desânimo, braços que nos envolvam, uma voz que diga: Siga em frente! Estou contigo!
Por vezes, é um amigo esse amor que se doa e nos sustenta. Basta nos perceba o cansaço, e ele vem para nos insuflar novo ânimo.
E, mesmo que não pronunciemos palavras, ele parece descobrir o de que necessitamos, chegando a prover recursos materiais de que carecemos para que não sucumbamos ante o peso das lutas.
É esse amigo que se faz presente no dia do nosso aniversário e nos envia uma mensagem, um cartão, uma flor. Algo do mais profundo da sua alma.
E, com isso, plenifica de alegria a data.
De outras vezes, é um colega de trabalho, alguém do nosso âmbito profissional. É o que nos incentiva a ir em frente, a não nos entregarmos ao desalento.
Ele nos ajuda em tarefas mais difíceis, nos orienta em caminhos que ainda não percorremos e sua experiência já palmilhou.
Enfim, ele sempre surge, na manhã nublada, com sua presença irradiante e seu estímulo revigorante.
Assim é ela. Uma jovem que nem chegou aos vinte anos. Quando chega, é como um raio de sol entrando pela casa.
Ela sorri e parece que ilumina o ambiente. Ela abraça e a fortaleza dos seus braços tem o dom de nos passar segurança.
Possivelmente, ela nem saiba o quanto sua presença significa.
Tem tal respeito pelos sentimentos alheios que, admiradora de rock e outras músicas barulhentas da atualidade, quando nos leva em seu carro, desliga o som.
Sei que você não gosta desse tipo de música! – Confessa. E, também, sei que você gosta de conversar, de contar as coisas do seu dia a dia.
E, como boa ouvinte, escuta e argumenta, faz perguntas. Depois, por sua vez, conta as suas peripécias: a prova difícil na faculdade, os desajustes com um dos professores, ações que acredita injustas.
Atenciosa, telefona para saber notícias, antes que a soma dos dias resulte em uma semana.
Companheira de sessões de cinema, de espetáculos de ballet, agenda tudo, de forma impecável, para que não percamos a estreia.
Disposta a nos acompanhar ao mercado, ao banco, onde queiramos ir.
E, com um quase orgulho, sentencia: Eu sou a sua motorista. Não vou lhe deixar sem carona. Conte comigo.
Raio de sol. Não é filha da nossa carne. Mas, alguém que Deus mandou para iluminar os nossos dias, tornar mais suave nossa jornada.
Todos temos esses anjos, vestidos de amigos, colegas, parentes.
Chegam de mansinho como quem nada quer. Mas assinalam sua presença com uma aura de paz e tranquilidade.
Espancam a solidão, enriquecem nossos dias.
Anjos de guarda revestidos de corpos humanos.
Guardiães humanos que se transformam em pilares de sustentação de nossos dias.
Raios de sol.
Créditos: Redação do Momento Espírita.
Em 5.9.2016.

0 comentários. Comente também!:

Postar um comentário

Adoro quando vocês comentam :)

Beijos,

Karen

Visualizações

Arquivo

Categorias