Tranquilizar-se em Deus


Não há quem percorra os caminhos da vida isento das dificuldades e situações desafiadoras.

As vidas tranquilas, os cotidianos previsíveis também têm seus dias de dores, de problemas e de aflições.

Alguns surgem de repente, qual tsunami arrastando e arrasando tudo que aparentemente parecia tão em ordem.

Outros se fazem tempestade de longo prazo, que se inicia lenta, ganhando força com o tempo e arrancando o que haja pela frente.

Não poucos, no mundo, enfrentam os mais graves desafios.

Ora o companheiro, que parecia tão feliz ao nosso lado, decide romper laços construídos no tempo e se evadir do lar, buscando aventuras.

Outros há que, em exame de saúde rotineiro, descobrem a doença invasiva, que já se instalou avassaladora.

Tantos são aqueles que, sob os camartelos do clima, veem o lar, os amores, seus pertences serem levados de roldão em poucas horas, sobrando o vazio.

São as aflições do mundo, as dores da vida a nos acompanhar os dias de aprendizado.

Todas, independentemente da forma que se apresentem, são as lições necessárias para nosso aprendizado.

Dores são oportunidades da alma para a reflexão, o entendimento melhor dos porquês da vida.

Mas onde as dores nos encontrem, não nos permitamos abraçar o desespero e o desânimo.

Deus será sempre o provedor maior nas dificuldades e o amparo constante ao nosso coração combalido.

Se atravessamos dias difíceis, muitas vezes sob um silêncio dolorido e ignorado, amparemo-nos em Deus.

Se sentirmos a solidão dolorida e imensa na alma, mesmo na multidão bulhenta que nos acompanha o caminhar, refugiemo-nos em Deus.

Se aflições nos tomam a alma, a rasgar-nos as fibras do sentimento, dilacerando-nos a intimidade, assosseguemo-nos em Deus.

Se a consciência gritar, acusando-nos de erros perdidos no silêncio do tempo, mas que nos atormentam o caminhar, aconselhemo-nos com Deus.

Ele será sempre o amparo perante as dores do mundo e o sustento nas necessidades mais íntimas.

Ao buscarmos Deus, seja qual for o nosso problema, ao tranquilizarmo-nos em Deus, hauriremos o de que necessitamos para enfrentar os desafios.

E, por fim, recordemos, como nos ensinou Jesus, que mesmo um homem mau jamais daria uma serpente ao filho se esse lhe pedisse um pedaço de pão. Que dirá o Pai, que está nos céus, a cuidar de cada um de nós, Seus filhos amados!


*   *   *


Ante os dissabores, mantenhamos nossa confiança em Deus que nos mantém a vida e nos guarda em Seu amor.

Mesmo que as dores possam nos parecer além das forças, tenhamos a certeza de que o Pai amoroso e bom está atento. O que nos pareça excesso de sofrimento, logo mais, como tempestade de verão, se acalmará, permitindo-nos ver o céu claro das bênçãos celestes.


Crédito: Redação do Momento Espírita.
Em 01.02.2012.

3 comentários:

  1. Oi Karen, que texto maravilhoso, estou no meio desta tempestade, hora parece estar passando, hora parece que volta com força total...não é fácil, obrigado por dividir...beijos
    cintiachagalves@hotmail.com

    ResponderExcluir
  2. Não devemos desistir, mesmo quando nos estivermos com dificuldades...
    Sabemos que devemos lutar, pois tudo passa...
    Tem sorteio lá no meu blog,mais corre que as inscrições só vão até o dia 28/07.
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Hoje passando para um convite:
    Te convido a vir participar do meu sorteio no blog: http://pequenosgrandespensantes.blogspot.com.br/2012/07/sorteio-para-comemorar-meu-niver.html
    Leia as regrinhas... Desejo boa sorte!!!
    Tenha uma semana feliz e abençoada.
    Bjokas...da Bia!!!

    ResponderExcluir

Adoro quando vocês comentam :)

Beijos,

Karen

Visualizações

Arquivo

Categorias